terça-feira, 3 de maio de 2016

Jesus ou Barrabás?

Uma vez me disseram que a Bíblia está cheia de mensagens, que quando você a ler em oração compreendemos coisas que nos faz somente acreditar que a leitura da Bíblia é algo espiritual e não carnal (normal). Já parou para ver a simbologia que ouve na troca de Barrabás por Jesus frente a Pôncio Pilatos?

Foto: PixaBay

Quem era Barrabás

Barrabás (do aramaico: Bar Abbas, "filho do pai") nasceu na cidade de Jopa, ao sul da Judeia. Tinha a profissão de remador de botes e foi contemporâneo de Jesus Cristo. É um personagem citado no Novo Testamento, no episódio do julgamento de Jesus por Pôncio Pilatos.

Era integrante de um partido judeu que lutava contra a dominação romana denominado zelote. Seu grupo agia através de ataques às legiões como meio de fustigar as forças invasoras dominantes. Foi preso após um ataque a um grupo de soldados romanos na cidade de Cafarnaum, onde possivelmente um soldado foi morto. "E havia um chamado Barrabás, que, preso com outros amotinadores, tinha num motim cometido uma morte." (Marcos 15:7)
Fonte: http://bibliacuriosa.blogspot.com.br/2013/11/quem-era-barrabas-e-o-aconteceu-com-ele.html

A troca

Convido você a leitura de toda a parte que trata deste evento (Mateus 15.1:15) antes de continuar a descrever sobre a mensagem. Se já conhece o contexto vá direto ao próximo tópico.
  1. Logo pela manhã entraram em conselho os principais sacerdotes com os anciãos, escribas e todo o sinédrio e, maniatando a Jesus, levaram-no e entregaram-no a Pilatos.
  2. Pilatos perguntou-lhe: És tu o Rei dos Judeus? Respondeu Jesus: Tu o dizes.
  3. Os principais sacerdotes fizeram-lhe muitas acusações.
  4. Pilatos tornou a perguntar-lhe: Nada respondes? vê quantas acusações te fazem.
  5. Mas Jesus nada mais respondeu, de modo que Pilatos se admirava.
  6. Por ocasião da festa o governador soltava um preso, a pedido do povo.
  7. Havia um chamado Barrabás, preso com outros sediciosos, os quais em um motim haviam feito uma morte.
  8. Chegando o povo, começou a pedir a graça que lhe costumava fazer.
  9. Disse-lhe Pilatos: Quereis que eu vos solte o Rei dos Judeus?
  10. Pois ele percebia que por inveja os principais sacerdotes o haviam entregado.
  11. Mas estes instigaram a multidão, para que Pilatos lhes soltasse antes a Barrabás.
  12. Pilatos tornou a dizer-lhes: Que farei, então, daquele a quem chamais o Rei dos Judeus?
  13. Eles clamaram de novo: Crucifica-o!
  14. Disse-lhes Pilatos: Pois que mal fez ele? Mas clamaram cada vez mais: Crucifica-o!
  15. Pilatos, querendo contentar a multidão, soltou-lhe a Barrabás e, depois de mandar açoitar a Jesus, entregou-o para ser crucificado.

A mensagem

Notem que, desde a sua prisão, Jesus Cristo pouco falou. Se antes tivesse clamado por misericórdia, provavelmente, Pilatos o teria libertado. E mesmo sendo trocado por Barrabás, nada falou contra. Era sua missão.

Barrabás representa o que há de mais podre neste mundo: o pecado. Veja que Jesus Cristo foi acusado e açoitado e depois morto injustamente por um crime que não cometeu. Mas, no lugar de Barrabás - o pecador, foi condenado, morto e sepultado.

Você e eu, somos "Barrabás". Pois foi por nós que Cristo morreu. E veja que, momentos antes de consumar a sua missão, um dos prováveis amigos de Barrabás, pediu que Jesus lembrasse dele no paraíso, mostrando que, mesmo nos últimos instantes de nossas vidas, podemos clamar por Ele, sendo nós meros pecadores.

Conclusão

Fariseus e publicanos incitando o povo a clamarem por Barrabás, representam os falsos profetas dos dias de hoje que, mesmo vendo tudo o que Jesus fez (faz), insistem em direcionar os seus membros a tomarem atitudes que vão ao contrário do que Deus deseja para todos nós.

Esta mensagem da troca de Barrabás por Jesus, nos mostra o quanto Jesus Cristo foi desprezado nos seus dias na terra, pois mesmo com muitos milagres e maravilhas, muitos não creram Nele - embora isto fosse necessário.

E hoje, muitos "Barrabás" estão por aí, levando as suas vidas em pecado. Mas preste bem atenção: Quando, um dia, clamarem o seu nome para que você seja libertado, olhe para o mundo e diga que não. Que você é que deve levar a sua cruz.

A paz do Senhor.

sexta-feira, 29 de abril de 2016

Você é uma marionete nas mãos de Deus?

Hoje em minha leitura da Bíblia pela manhã, algo me chamou a atenção. Estaria Deus controlando todos os passos de nossa vida? Se não, podemos então creditar coisas inexplicáveis a coincidências. Se sim, até os nossos pecados poderemos então colocar a culpa em Deus e assim escaparmos da condenação eterna. Mas então: Você é uma marionete?

Foto: Pixabay

Um plano

Quem gosta realmente de ler a Bíblia e mais do que isso, estudá-la, deve ter percebido que todos os assuntos da mesma, remetem as profecias sobre o messias - Jesus Cristo. Entretanto, muitos vão além disso e ao ouvir de outros a celebre frase: "Deus tem um propósito para a sua vida!", enchem-se de orgulho e acreditam que Deus, olhou para você lá do céu e disse algo exclusivamente para você. Acredita nisso? Se sim ou se não, deixe eu colocar as minhas considerações.

Foto: Pixabay


O propósito de Deus na vida de cada um, indiscutivelmente, é chamar ao arrependimento, levar à salvação. Pois como Paulo escreveu em 1Timóteo 2.4:
[...] que deseja que todos os homens sejam salvos e cheguem ao conhecimento da verdade.
Percebam que a palavra "deseja" já nos mostra algo que se espera. Entretanto, nem todos ouvirão este chamado. Portanto, algo que se espera não necessariamente será obtido, cabendo a cada um, se direcionar aquilo que deseja.

quinta-feira, 28 de abril de 2016

II Conferências de Aniversário do Avivamento Metodista do Século XVIII

Imagem: Divulgação

Durante o século XVIII, na Grã-Bretanha e nos EUA, ocorreu o que alguns consideram o maior avivamento espiritual experimentado pela igreja cristã desde os dias apostólicos. Esse foi o século do Jonathan Edwards (teólogo, filósofo e avivalistas), de Isaac Watts, John Newton e Charles Wesley (compositores de hinos), de John Wesley e de George Whitefield (pregadores avivalistas).

O pensamento evangélico clássico assentou sua base no puritanismo (século XVII), no pietismo (séculos XVII e XVIII) e no metodismo (século XVIII).


O Metodismo no século XVIII foi um movimento, não uma denominação. Seus líderes principais eram anglicanos, mas pessoas de várias denominações participavam. O movimento começou com o Clube Santo, grupo cristão de universitários, e teve uma considerável influência dos irmãos morávios em seu desenvolvimento. Esse movimento, através do qual veio um poderoso avivamento, envolveu grupos arminianos e calvinistas.


Os mais conhecidos representantes do metodismo foram Charles Wesley, John Wesley e George Whitefield. Todos foram conhecidos por seu profundo fervor e devoção. Além de pregar, Charles destacou-se como um inspirado poeta e compositor, John Wesley foi o grande organizador e mentor e George Whitefield foi um inflamado pregador, cuja voz possuía grande alcance.

Charles Spurgeon disse: “Outros homens parecem estar apenas vivos pela metade, mas Whitefield era totalmente vida, fogo, asas, força. Meu modelo pessoal se for possível algo assim em subordinação a meu Senhor, é George Whitefield. Com passos desiguais, deverei seguir o seu glorioso caminho”.






Nos dias 26, 27 e 28 de maio, o INSTITUTO PIETISTA DE CULTURA promoverá AS II CONFERÊNCIAS DE ANIVERSÁRIO DO AVIVAMENTO METODISTA DO SÉCULO XVIII. Na oportunidade, faremos uma reconstrução histórica desse grande mover de Deus e conheceremos a qualidade e o conteúdo da mensagem de George Whitefield. Também exibiremos um filme clássico de 1954 (legendado) sobre esse grande avivamento.


Nas CONFERÊNCIAS, cantaremos hinos de Charles Wesley, Isaac Watts e John Newton. No ano passado, muitos saíram do evento como “os que sonham”. Acreditamos que agora muitos sairão dizendo: “Faz de novo, Senhor!!
 

Rev. Glauco Barreira Magalhães Filho
Graduado em Teologia (UMESP), Doutor em Ministério (FTML)
Mestre em Direito (UFC), Doutor em Sociologia (UFC)


Serviço

Valor: Gratuito
Data: 26, 27 e 28 de maio
Certificado: R$ 20,00 e que compareça em dois dias do evento. 
Endereço: Rua Nogueira Acioli, 2195 - Joaquim Távora (Instituto Pietista de Cultura/ Igreja Batista Moriá)
Mais informações: Clique aqui!

sexta-feira, 22 de abril de 2016

Na Nigéria, pastor evangelista é assassinado após tentar aconselhar integrantes de uma gangue

Foto: Divulgação Gospel+

Uma gangue assassinou um pastor por se sentir incomodada com a pregação do Evangelho e os constantes conselhos e apelos para que abandonassem o crime.

O caso foi registrado na vila Ohigha, no estado de Rivers, na Nigéria. O pastor Chukwu Ekere foi brutalmente assassinado após ser sequestrado por quatro dos membros da gangue.

Segundo informações do Christian Post, a “gota d’água teria sido uma exortação do pastor aos rapazes, dizendo que eles deveriam se arrepender de seus pecados.

A polícia de Rivers afirmou que prendeu os membros da gangue e descobriu outros crimes cometidos. “A quadrilha confessou ter sido a responsável pelo sequestro do pastor Chukwu Ekere, da comunidade Ohigha e ter assassinado o evangelista, simplesmente porque o homem de Deus os ‘perturbou’ com sua pregação, que os chamava ao arrependimento e também por ter proposto que eles deixassem de praticar suas atividades nefastas e aceitassem a Deus”, disse nota da polícia divulgada na imprensa do estado.

A prisão dos assassinos aconteceu em Ogba e em Diobu, o que propiciou a descoberta de outro crime cometido por eles no dia 07 de janeiro, quando sequestraram, estupraram e assassinaram uma mulher identificada apenas como Igila, também moradora da mesma vila que o pastor.

Os homens presos são Henry Ajie, 23 anos; Bright Ajie, 22; Dadison Ogadima, 22; e Sampson Dibia, 30. O comando da polícia local afirmou que “os suspeitos confessaram as acusações de sequestro da vítima, e também o estupro e o estrangulamento dela”.

A Nigéria, que vem sendo assolada pelo extremismo religioso dos muçulmanos do Boko Haram, é hoje um país em guerra contra o terrorismo. Rivers é um dos 36 estados da nação, com população de 5,1 milhões de habitantes.

Por Tiago Chagas - Via Gospel+

Nossa página no FaceBook

É com grande satisfação que estamos anunciando a nossa fanpage no Facebook. Para você que também acompanha a rede social, fica a dica. Vá lá, curta a nossa página e faça a Palavra de Deus crescer.




Face: https://www.facebook.com/revistaevangelico

Em breve, estaremos iniciando a nossa página também no Google+.

quarta-feira, 20 de abril de 2016

Se você subir, eu irei me segurar em suas pernas

O título desta postagem: "Se você subir, eu irei me segurar em suas pernas", não é uma expressão nova. Lembro-me que, quando criança, já ouvia alguém falar isso. Geralmente, são pessoas que levavam a vida em pecado e quando indagado sobre a salvação, respondiam assim. Mas será que isto será possível? Será que poderemos nos abraçar as pessoas que "irão subir" e assim garantirmos a nossa entrada nos céus?

Foto: Pixabay

 Segurar nas vestes de um salvo?

Bom, temos aqui dois grandes questionamentos. Mas antes de iniciá-los, vamos dar uma olhada no versículo escolhido para esta postagem (Zacarias 8:22-23):
"E muitos povos e nações poderosas virão buscar o Senhor dos Exércitos em Jerusalém e suplicar o seu fa­vor.
Assim diz o Senhor dos Exércitos: Naqueles dias, dez homens de todas as lín­guas e nações agarrarão firmemente a barra das vestes de um judeu e dirão: 'Nós vamos com você porque ouvimos dizer que Deus está com o seu povo".
Assim virão muitos povos e poderosas nações, a buscar em Jerusalém ao Senhor dos Exércitos, e a suplicar o favor do Senhor.
Assim diz o Senhor dos Exércitos: Naquele dia sucederá que pegarão dez homens, de todas as línguas das nações, pegarão, sim, na orla das vestes de um judeu, dizendo: Iremos convosco, porque temos ouvido que Deus está convosco.
Zacarias 8:22,23
Assim virão muitos povos e poderosas nações, a buscar em Jerusalém ao Senhor dos Exércitos, e a suplicar o favor do Senhor.
Assim diz o Senhor dos Exércitos: Naquele dia sucederá que pegarão dez homens, de todas as línguas das nações, pegarão, sim, na orla das vestes de um judeu, dizendo: Iremos convosco, porque temos ouvido que Deus está convosco.
Zacarias 8:22,23
O versículo 22 (E muitos povos e nações...), fala do tempo em que Jerusalém será o centro do mundo no tocante a espiritualidade. Já o versículo seguinte, trata do desespero de muitos - de todas as línguas e nações, tentarem se agarrar nas vestes daqueles que irão subir aos céus.

Como havia escrito a pouco, temos dois questionamentos aqui:

01 - Quem irá subir - ser salvo?
Por mais cômodo que seja a ideia de que, se aceitar a Cristo serei salvo e não importa mais o que aconteça de um forma ou de outra serei salvo pareça ser muito bom, devemos tomar muito cuidado com isto. Pedro, em Filipenses 3:13-14, diz:
"Irmãos, não penso que eu mesmo já o tenha alcançado, mas uma coisa faço: esquecendo-me das coisas que ficaram para trás e avançando para as que estão adiante, prossigo para o alvo, a fim de ganhar o prêmio do chamado celestial de Deus em Cristo Jesus."
Note que Paulo foi um dos apóstolos que mais participaram da divulgação do evangelho de Cristo e mesmo assim, não relatava que já havia alcançado a salvação. Talvez, por sua vida e obras, já tivesse, mas este pensamento de que devemos caminhar para "ganhar o prêmio do chamado celestial", é uma atitude que todos nós que almejamos "subir" devemos tomar.

Então, mesmo sendo possível segurarmos em alguém que vai subir, fica a pergunta: Quem irá subir para que nos agarremos a estes? E se este "ir para os céus" é algo rápido e sem avisos para este momento, como me segurar em alguém 24 horas por dia? Portanto é que se diz que a salvação é algo individual.

02 - Como segurar-se em algo intangível?
Não vejo como ir para o céu em um corpo físico. Embora Cristo tenha sua ascensão aparentemente em corpo físico, não vejo que possamos habitar com ele com o mesmo corpo que temos hoje. Então a ideia de que poderemos nos agarrar as roupas das pessoas e assim "conseguirmos a salvação" é algo completamente ilógico.

Conclusão

Não será por força, nem por "jeitinho brasileiro" - indo de carona, que conseguiremos ir para o céu. Se a sua ideia de salvação depende também de outra pessoa é bom rever os seus conceitos. Uma vez, durante uma pregação, pedi que as pessoas orassem ao irem dormir, perguntado a Deus por que Ele os amava. Está pergunta já está respondida em diversos versículos. Entretanto, o auge deste questionamento é que a resposta não poderia ser um sim. Este questionamento e não uma pergunta, abrirá caminho para "uma conversa" com Deus e não simplesmente uma resposta em monossílabas. Relacionar-se com Deus é o único caminho para se obter a salvação.

terça-feira, 19 de abril de 2016

Feio e desprezado. Assim era Cristo.

Peço que por 10 segundo, você feche os seus olhos e tente imaginar o rosto de Jesus Cristo. Faça isto agora.

Muito bem, ao abrir os seus olhos, provavelmente, a imagem que veio a sua mente era de Cristo, com cabelos castanhos, olhos azuis ou verdes. Pele branca e de corpo, alta estatura, afinal, era o filho de Deus. Mas, contrariando a toda as pinturas de Michelangelo, a Bíblia nos dá uma noção de que, a feição de Jesus Cristo não era assim tão bela. Quer saber o motivo? Continue lendo.

Foto: Pixabay

Isaías 53.3

Este pequeno versículo escrito pelo profeta Isaías a aproximadamente 700 anos antes de Cristo, nos indica como seria a feição de Jesus.
"Era desprezado, e o mais rejeitado entre os homens, homem de dores, e experimentado nos trabalhos; e, como um de quem os homens escondiam o rosto, era desprezado, e não fizemos dele caso algum."

Desprezado
Uma pessoa desprezada é alguém que não tem um convívio social abundante. Fala sobre uma pessoa com poucos ou nenhum amigo.

Rejeitado entre os homens
Jesus - antes do início do seu ministério,  deveria ser aquela típica pessoa que as demais não gostariam de sua companhia. Imagino, que até mesmo ao tentar chegar a um grupo de amigos, estes se dispersavam e o rejeitavam.

Dores e experimentado nos trabalhos
A profissão de Jesus provavelmente era a carpintaria já que seu pai na terra - José, era carpinteiro. A expressão "experimentado nos trabalhos" talvez faça alusão a calos, cortes e feridas provocadas pelo uso de ferramentas e farpas de madeiras que inevitavelmente o machucavam.

Escondiam o rosto
Sabe a situação de você falar com alguém e esta simplesmente virar o seu rosto fingindo que a conversa não era com ele? Pois é, a princípio, isto ocorreu com Jesus Cristo.

Fizemos caso algum
Sabe aquela sensação de solidão? Mas a pior delas que é a solidão em meio a uma multidão. Cercado de pessoas, mas mesmo assim não temos alguém para conversar. Se este é o seu caso, alegre-se, Jesus Cristo também passou por isso.

Não sabemos bem como foi a adolescência e juventude de Jesus. Mas sabemos que, através deste versículo, que Ele não era uma pessoa de formosura física. Tinha problemas de relacionamento com outras pessoas e era desprezado (se ler novamente o versículo acima, verá que o "desprezo" é citado duas vezes).

Não precisamos de beleza, precisamos de obediência

Quantos de nós desejamos falar do amor de Jesus Cristo e nos deparamos com a nossa imagem no espelho e pensamos: "Eles irão rir de mim." Quantas vezes, deixamos de falar algo para alguém por não nos sentirmos aparentemente bem e acabamos deixando passar o que seria talvez um divisor entre a felicidade ou a ruína de uma vida?

Saiba que, Jesus Cristo, poderia ter nascido em qualquer família. Poderia ter vindo como filho de Pilatos, Herodes ou qualquer outro príncipe da época. Mas veio como filho de um carpinteiro e de uma dona de casa. E, em sua entrada triunfal em Jerusalém, poderia ter feito isto montado em um cavalo imponente, quem sabe um Corcel. Mas não, veio em um jumento que nem Dele era, era emprestado.

Fico imaginando pastores escolhendo o seu terno antes das pregações perguntado se este ou aquele lhe caberia bem. Terno este que as vezes, custa uma parcela significativa do aluguel de onde está a igreja. E quando a igreja se encontra em dificuldade e pedi aos irmãos para fazer um bazar, nenhum destes ternos será destinado a isto - a não ser aquele do tempo em que ia para as praças pregar o evangelho genuíno embaixo do sol.

Fazer a vontade de Deus, não está atrelado a uma condição física. A uma posição social, ou marca de roupa. A cabelos penteados ou um rosto liso pós barba. Quando escrevo este texto por exemplo, estou sem camisa, barba por fazer e com um short velho, manchado e descosturado nas pernas. Mas não é por isso que vou parar o meu pensamento, pois bem sei que se não hoje, algum dia, alguém irá ler este texto e ter a certeza que buscava algo assim para que desperte o amor a Palavra de Deus e passe a falar desse amor mesmo sendo, ..."desprezado, e o mais rejeitado entre os homens, homem de dores, e experimentado nos trabalhos; e, como um de quem os homens escondiam o rosto, era desprezado, e não fizemos [DE VOCÊ] caso algum."

A imagem e semelhança de Cristo

Meus amados irmãos e irmãs. A imagem e semelhança de Cristo nada mais é que uma indicação de que devemos ser como Cristo foi em essência e não em aparência. Amar, perdoar, falar com Deus, buscar o bem do próximo mesmo que nesta busca sejamos nós o maiores prejudicados.

Agora para finalizar, peço que repita o processo do início deste texto. Mas, agora ao fechar os olhos, imagine a si mesmo, veja o seu retrato e saiba que a melhor imagem de Cristo pode ser a sua vida, então viva para ser você também um Cristo.

Deus abençoe a todos.

Autor: Lucas Filho